Ponte Joinville deve ficar pronta somente em setembro de 2026

Ataques de Israel na Faixa de Gaza são os mais fatais para jornalistas
21/11/2023
Nadador joinvilense fatura duas medalhas de ouro em campeonato
21/11/2023
Ataques de Israel na Faixa de Gaza são os mais fatais para jornalistas
21/11/2023
Nadador joinvilense fatura duas medalhas de ouro em campeonato
21/11/2023

Na tarde desta terça-feira (21), a Comissão de Urbanismo da Câmara de Vereadores de Joinville, debateu o andamento da Ponte Joinville. A partir de um pedido do presidente da Associação de Moradores do Adhemar Garcia, Reinaldo Gonçalves, a comissão chamou representantes da Prefeitura, do banco que está financiando a obra e do Governo Federal, que garante a operação de crédito.

Se todo o planejamento da Secretaria de Administração e Planejamento sair como o previsto, a Ponte Joinville, que vai ligar os bairros Boa Vista e Adhemar Garcia deve ficar pronta em 26 de setembro de 2026.

Uma nova licitação está sendo preparada para ser lançada nos próximos dias, ainda em novembro.

A primeira tentativa de contratação, em abril deste ano, foi considerada fracassada, ou seja,  nenhuma empresa conseguiu cumprir os requisitos da licitação.

A diretora-executiva de coordenação de projeto e programa da secretaria de administração e planejamento, Silvia Reolon, explicou na reunião os motivos desse fracasso e como o órgão trabalhou para resolver essa situação.

A ponte

A Ponte Joinville foi projetada para ligar os bairros Adhemar Garcia e Boa Vista. Isso possibilitaria um acesso alternativo para os moradores da zona sul ao centro e às regiões leste e norte da cidade.

A obra está prevista desde o plano diretor de 1973,  que completou 50 anos em abril. Para torná-la realidade, o município contratou um empréstimo com o Fonplata, o Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata.

Em junho de 2017, a Câmara de Vereadores aprovou uma lei que autorizou o município a contratar o crédito. O valor do empréstimo era, na época, de  40 milhões de dólares, o valor equivalia, então, a 132 milhões de reais.

Em setembro de 2018, o então prefeito Udo Döhler assinou o contrato. Entre as obrigações do município estavam a quitação do valor até 2032, outra obrigação do município, para que o empréstimo fosse concedido, foi o investimento, também no valor de 40 milhões de dólares,  em obras de infraestrutura viária e na elaboração da rede de esgoto do bairro.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido