Onda de calor faz consumo de energia atingir níveis jamais vistos no Brasil

Aprovado aumento de salários dos vereadores de Joinville
14/11/2023
Pessoas retidas em hospital de Gaza planejam enterrar corpos
15/11/2023
Aprovado aumento de salários dos vereadores de Joinville
14/11/2023
Pessoas retidas em hospital de Gaza planejam enterrar corpos
15/11/2023

A excepcional e histórica onda de calor que atinge vários estados, com maior intensidade o Centro-Oeste e o Sudeste, faz o consumo de energia elétrica bater recordes. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o Brasil teve nesta terça-feira um recorde na demanda de energia pelo segundo dia seguido.  A carga no sistema nacional às 14h20 atingiu 101.475 MW.

Os números do ONS mostram um aumento de 16,8% na carga, se considerada a demanda atendida nos primeiros dias de novembro, passando de 86.800 MW para os atuais 101.475 MW. O montante atual é 0,5% superior ao recorde batido na segunda-feira, quando a carga do SIN superou, pela primeira vez na história, a marca de 100.000 MW. O Operador Nacional do Sistema reforça que o SIN é robusto, seguro, possui uma ampla diversidade de fontes e está preparado para atender às demandas de carga e potência da sociedade brasileira.

No momento em que o novo patamar foi registrado, o atendimento à carga era feito por 60.095 MW de geração hidráulica (59,8%), 11.601 MW de geração térmica (11,5%), 9.511 MW de geração eólica (9,5%), 8.464 MW de geração solar centralizada (8,4%) e 11.302 MW de geração solar proveniente de micro e mini geração distribuída (11,2%). Na segunda-feira, a demanda instantânea de carga do Sistema Interligado Nacional (SIN), às 14h17, alcançou 100.955 MW. Foi a primeira vez na história do sistema interligado de energia brasileiro em que a carga superou a marca de 100.000 MW. A maior marca anterior era de 97.659 MW, em 26 de setembro, também durante uma onda de calor.

Houve recorde de demanda na segunda de energia elétrica também no subsistema Sudeste e Centro-Oeste com o pico de carga superando, pela primeira vez, a marca de 60.000 MW com 60.735 MW. O recorde regional até então era de 57.791 MW, ocorrido no dia 26 de setembro deste ano. Vários bairros de São Paulo ficaram sem luz durante algumas horas na segunda-feira. O mesmo ocorreu na cidade do Rio de Janeiro. As concessionárias mencionaram sobrecarga. Ao menos 18 municípios do estado do Rio de Janeiro enfrentaram um apagão na segunda. Hoje, nas redes sociais, havia relatos de pessoas sem energia no estado de São Paulo.

É comum ver em diversos países do mundo, durante episódios de calor extremos, interrupção no fornecimento de energia, seja por excesso de demanda que leva a cortes preventivos pelas concessionárias ou por falhas ou problemas na rede devido às altas temperaturas. Hoje, a temperatura superou os 40ºC no Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Goiás. A maior temperatura oficial ocorre em Corumbá (MS) com 43,3ºC. A cidade de São Paulo teve um dos dias mais quentes desde o começo dos registros em 1943 com quase 38ºC. A sensação térmica atingiu 58,5ºC na cidade do Rio de Janeiro. O calor segue intenso no Sudeste do Brasil e deve atingir o pico entre quinta e sábado com máximas que serão extraordinariamente altas e potencialmente recordes.

Fonte: MetSul

 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido