No próximo sábado Joinville debaterá o genocídio em andamento na palestina

STF rejeita habeas corpus de Filipe Martins, ex-assessor de Bolsonaro
26/06/2024
Projeto sobre emissão gratuita de CNH em SC segue para sanção do governador
26/06/2024
STF rejeita habeas corpus de Filipe Martins, ex-assessor de Bolsonaro
26/06/2024
Projeto sobre emissão gratuita de CNH em SC segue para sanção do governador
26/06/2024

Neste sábado (29), às 9h30, o genocídio em curso na Palestina será tema de debate no plenário do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (SINSEJ), localizado na rua Lages 84, no Centro de Joinville. A mesa dirigente será composta pela presidente do Sinsej licenciada, Jane Becker,  o advogado, professor e membro do Centro de Direitos Humanos (CDH), Luiz Gustavo Assad Rupp, o  professor e membro fundador do coletivo Vanguarda Popular Joinvilense (VPJ) Sandro Jardim e pelo economista, fundador e membro da executiva nacional do PT, Markus Sokol.

Em 17 de fevereiro deste ano, na Conferência da União Africana, na Etiópia, o presidente Lula declarou: “Na Faixa de Gaza, não está acontecendo uma guerra, mas um genocídio (…) O que está acontecendo na Faixa de Gaza e com o povo palestino não existe em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu: quando o Hitler resolveu matar os judeus (…). Não é uma guerra entre soldados e soldados. É uma guerra entre um exército, altamente preparado, e mulheres e crianças.

Segundo os organizadores, Lula tem razão. Para eles, é correta a comparação da situação na Palestina ao genocídio dos judeus pelo nazismo, pois o que lá ocorre é carnificina e limpeza étnica. O Estado racista de Israel, de Benjamin Netanyahu, recusa o Cessar-fogo e declarou Lula persona non grata. Celso Amorim (Assessor Especial da Presidência da República) rebateu a ofensa com altivez: Persona non grata é Israel. Isolado, mas apoiado por Biden, Netanyahu continua o massacre. Para o cessar-fogo imediato e permanente, o caminho é a resistência nacional e a solidariedade internacional.

Nesta linha, o Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina em sua última reunião de diretório, se solidarizou com o presidente Lula e com os povos de todo o mundo, que pedem nas ruas o cessar-fogo e orientou suas filiadas e seus filiados a organizarem comitês de solidariedade em seus municípios e a participarem de atividades de solidariedade ao povo palestino.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido