Aumenta a demanda de pacientes com sintomas de dengue em Joinville

Alerta sobre perfil dos casos confirmados de dengue em Santa Catarina
21/03/2023
Paralisação das montadoras tem explicação: o aumento dos juros
21/03/2023
Alerta sobre perfil dos casos confirmados de dengue em Santa Catarina
21/03/2023
Paralisação das montadoras tem explicação: o aumento dos juros
21/03/2023

 

Nos últimos dias, a Secretaria da Saúde (SES) da Prefeitura de Joinville, registrou um aumento significativo de atendimentos de pacientes com sintomas de dengue ( febre alta, dor de cabeça, atrás dos olhos e no corpo, manchas vermelhas na pele e de fraqueza) nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade. Devido a essa grande demanda, a SES fez ajustes no plano de direcionamento na rede pública de saúde para os pacientes com dengue.

O paciente que tiver procurado uma UPA com sintomas de dengue e for identificado como um caso A (a divisão vai de A a D, sendo D o mais grave e A o menos grave) será encaminhado para a Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) mais próxima da UPA ou PA em que ele está.

“Esse será o fluxo enquanto persistir essa alta demanda. De acordo com o grau de sobrecarga nas UPAs e PA, esses pacientes podem ser direcionados para as UBSFs”, explica o secretário de Saúde de Joinville, Andrei Kolaceke.

Na segunda-feira (20), a UPA Sul registrou 1.140 atendimentos, a UPA Leste 1.016 e o PA Norte 704. Juntas, as três unidades somam 2.860 atendimentos, independentemente da queixa do paciente, em um único dia. A média dos últimos 30 dias foi de 1.710 atendimentos diários.

Os pacientes do grupo B continuam recebendo atendimento nas UPAs e PA, onde precisam fazer hemograma e permanecer em acompanhamento.

A Secretaria da Saúde também oferece um serviço de teleatendimento, o Monitora Dengue, com uma equipe de 11 profissionais. Este grupo faz o acompanhamento remoto dos pacientes do grupo B.

Aumento no número de focos

De acordo com estudo mais recente do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (Liraa), concluído em março deste ano, Joinville está em situação de alto risco para transmissão de dengue, febre chikungunya e zika vírus. Nesta edição do Liraa, foram realizadas 5.684 inspeções em imóveis e identificados 553 focos do mosquito Aedes aegypti. No Liraa de março de 2022, foram encontrados 450 focos.

Primeiro óbito por dengue de 2023 em Joinville

Na última sexta-feira (17), a Secretaria da Saúde confirmou o primeiro óbito em decorrência de dengue registrado em Joinville neste ano. Trata-se de uma mulher, de 26 anos, moradora do bairro Jardim Paraíso. O óbito foi em uma unidade hospitalar da rede pública.

Desde 1º de janeiro de 2023, 736 casos de dengue foram confirmados em Joinville, foi registrado aumento no número de casos nas últimas semanas. Por meio do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), ficou evidenciado que a maioria dos focos de dengue estão nas residências. Em 2022, Joinville registrou 21,3 mil casos de dengue e 19 óbitos.

 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido